Amazon View!

Matérias Temáticas | Cultura

Marabá sedia o 3º Jogos dos Povos Indígenas

Espetáculos de beleza e cultura ímpares aconteceram na praia do Tucunaré, em Marabá, região Sul do Pará. Foi a terceira versão nacional dos Jogos dos Povos Indígenas, evento que reuniu 35 nações, cinco troncos linguísticos e cerca de 900 índios, 645 atletas, além de um público de milhares de pessoas, incluindo autoridades, antropólogos e jornalistas do mundo inteiro. Os indígenas apresentaram várias modalidades de esporte, inclusive nativos.

O inestimável valor cultural, humano e esportivo do evento fez-se sentir pelo exemplo de hospitalidade, calor humano e espírito esportivo que tomou conta de Marabá durante os jogos, cuja média de público atingiu três mil pessoas por dia, chegando a 15 mil no encerramento.

Hospedados em 16 barracões construídos próximos à arena esportiva, índios de oito Estados brasileiros participaram do encontro, mostrando a síntese de nossa cultura tradicional, com indígenas de seios nus, bambus atravessados no nariz, pinturas exóticas, cumprimentos afetuosos e o suave aroma do fumo de raízes e cipós. Diferentes na etnia, mas iguais no amor às tradições, os índios dançaram, cantaram seus cantos de guerra e de louvor, correram, lutaram, remaram, nadaram e atiraram flechas, lanças e zarabatanas no estilo tribal e foram aplaudidos na bela olimpíada nativa. Tudo lembrando um passado não muito distante, quando nossos aborígenes dominavam o Brasil.

As competições disputadas na praia e no rio empolgaram o público presente, inclusive o futebol que chegou ao Brasil no início do século. Mas o que mais valeu foi o congraçamento e confraternização das raças acontecido no evento, como afirma Carlos Terena, representante da Funai, coordenador dos Jogos e incansável porta-voz da causa indígena.

O governador paraense, Almir Gabriel, disse na ocasião que o evento superou todas as expectativas, quer na participação do público, quanto nas manifestações culturais dos índios, sobretudo pela confraternização inspirada pela união dos povos. Falou da energia, da integração, da aproximação e da paz que o evento irradiou, afirmando que o governo do Pará, através do Programa Raízes, quer apoiar os grupos indígenas e quilombas.

O Ministério do Esporte e Turismo, Instituto Nacional de Desenvolvimento do Desporto – Indesp e Governo do Estado do Pará foram os principais responsáveis pela realização do evento, com o apoio da Prefeitura de Marabá, Funai e Eletronorte.

Os Jogos Indígenas tiveram a sua primeira versão em Goiânia (1997), idéia que nasceu na época em que Pelé era ministro extraordinário dos Esportes. A segunda versão aconteceu em Guairá, Paraná, no ano de 1999. A inclusão social dos índios nos programas desportivos do Ministério e o valor da cultura esportiva das etnias indígenas foram contemplados pela iniciativa, afirma Lars Grael, diretor de Programas Especiais do Indesp e medalha de bronze em duas Olimpíadas, que esteve presente no III Jogos Indígenas. (Apolonildo Britto - Revista Amazon View – Edição 34)

 
Apolonildo Brito

OUTRAS

Parceiros