Amazon View!

Matérias Temáticas | Cultura

Unesco declara São Luís Cidade-Patrimônio

Desde os séculos XVI e XVII, o Maranhão já causava fascínio aos navegadores, nobres, corsários e aventureiros, não só porque era uma porta aberta para a descoberta dos tesouros da Amazônia, mas devido à beleza do lugar, cunhado de ‘‘Jardim do Éden’’ pelo francês Claude d’Abbeville. O navegador português Simão Estácio da Silveira, deslumbrado com a conformação da natureza da ilha, chamou o local de ‘‘Paraíso Terrestre’’ e "Brasil melhor".

Essas definições não vieram à tona apenas mediante arroubos poéticos das pessoas que as escreveram, mas porque o Maranhão primava, como ainda hoje, de uma posição privilegiada entre o Norte e o Nordeste brasileiros, onde a natureza, sumamente pródiga, agrega litoral, cerrados, florestas, pântanos e até um deserto, tendo lagoas de águas doces como oásis.

Além dessa biodiversidade, o Maranhão possui diversificada cultura popular, consubstanciada na miscigenação entre o colonizador branco, o trabalhador negro e o índio. Esta farta cultura deu aos maranhenses a consciência da preservação da sua história, tanto que hoje, a par disto, São Luís, a capital, é Cidade-Patrimônio da Humanidade, com aprovo sem ressalvas do Comitê de Patrimônio Mundial, órgão da Unesco.

‘‘Não existe nada igual no mundo: o acervo cultural e arquitetônico não tem similares’’. Assim se expressaram, em parecer, membros da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação e Cultura), que analisaram a proposta da governadora do Maranhão, Roseana Sarney, de dar à capital do Estado, São Luís, o título de Cidade-Patrimônio da Humanidade.

A proposta hoje é cristalina realidade. São Luís, do Maranhão, é cidade que possui prestígio internacional e está entre os grandes circuitos do turismo mundial, guindada a isto pelo título que recebeu da Unesco.

Tudo porque a cidade possui mais de quatro mil prédios de valor histórico, construídos por colonizadores portugueses, de forma homogênea. O conjunto arquitetônico,  erigido na principal cidade maranhense,  é um dos maiores da América Latina, caracterizado por seus azulejos, mirantes, sacadas e telhados.

São casarões que foram usados no período colonial por nobres maranhenses. Sobressaem-se, também, igrejas com mais de trezentos anos de construídas. Os casarões e igrejas abrangem boa parte do centro histórico de São Luís.

A proposta de escolher a cidade como Patrimônio da Humanidade foi levada pessoalmente a Paris, pela governadora Roseana Sarney, no dia 5 de maio de 1996.

Técnicos da Unesco estiveram no Maranhão, estudando o patrimônio histórico-cultural da capital e ao dar parecer favorável ao título, houve aprovação sem ressalvas, cujo anúncio ocorreu em 5 de dezembro de 1997, em Nápoles (Itália), durante reunião do Comitê de Patrimônio Mundial, que envolve 21 países.

Com o reconhecimento internacional adquirido e o seu ingresso definitivo no circuito turístico mundial, São Luís, agora, além do amor que os maranhenses têm pela cidade, demonstrado com a preservação do conjunto arquitetônico, tem acesso a recursos de organismos estrangeiros, os quais perpetuarão a manutenção do rico patrimônio histórico e cultural.   (Apolonildo Britto – Revista Amazon View – Edição 28)

 
Apolonildo Brito

OUTRAS

Parceiros