Amazon View!

Matérias Temáticas | Cultura

Artesanato do Amazonas em catálogo

Um belo álbum promocional do artesanato amazonense foi lançado na II Feira Internacional da Amazônia (II Fiam), trazendo a grande variedade e criatividade dos artesões regionais, com destaque para as comunidades ribeirinhas e indígenas. A obra promovida pelo Governo do Estado intitula-se Catálogo Promocional do Artesanato do Estado do Amazonas, tendo com objetivo incentivar e divulgar a cultura baré

A beleza, a variedade e a riqueza do artesanato do Estado do Amazonas ganharam um aliado muito forte surgido com a finalidade de divulgá-las em grande estilo pelo Brasil e o mundo afora. É o Catálogo Promocional do Artesanato do Estado do Amazonas lançado em seu primeiro número na II Feira Internacional da Amazônia (II Fiam).

O trabalho, de composição gráfica moderna, possui mais de 50 páginas de imagens que mostram a essência da produção artesanal do Amazonas. As imagens, construídas por fotos altamente artísticas, recebem referências textuais bilíngües, o que dá um charme à obra produzida para circular em todo o mundo como mostruário em feiras e rodadas de negócios.

O lançamento do catálogo ocorreu no stand do Governo do Estado do Amazonas, durante a Feira Internacional da Amazônia, em concorrida solenidade que contou com a presença, entre outras, do governador Eduardo Braga, primeira-dama do Estado Sandra Braga, presidente da Suframa Flávia Grosso, primeiro-ministro de Aruba Nelson Oduber, presidente da Amazonastur Oreni Braga e presidente do Lloyd Aéreo Boliviano Ernestor Asbun.

A obra, fruto de iniciativa da Empresa Estadual de Turismo da Amazônia (Amazonastur) e patrocínio da empresa de cosméticos Vitaderm, retrata o potencial da produção artesanal do Estado do Amazonas com uma variedade de matérias-primas, tais como fibras vegetais, couro de peixe, borracha, madeira, sementes e talo de buriti, entre outras, sem esquecer a tradicional cerâmica.

Há mostras do artesanato de comunidades de diversas regiões do Estado, como da Associação das Mulheres do Alto Rio Negro, do povo indígena Saterê-mawé, Associação dos Artesãos de Boa Vista do Ramos, Associação de Produção Indígena Yakinô e de produtores de cerâmica de Urucará, Município distante 259 quilômetros de Manaus, em linha reta.

O artesanato do Amazonas revela a formação étnica, social e econômica do homem da região, descendente de um sincretismo entre as culturas indígena, européia e nordestina. Mas a predominância aborígine na produção artesanal é marcante, vem de milênios, de etnias que habitavam o Alto Rio Negro e outras áreas, chegando aos dias atuais pelas mãos de remanescentes e descendentes.

Baniwas, Way-wai, Muras, Yanomâmis, Ticunas, Atroari e Saterê-mawé...A herança indígena está presente no artesanato amazonense, como uma referência de identidade. O traçado original das nações do Alto Rio Negro é marcado na cestaria, utensílios e armas de caça e guerra, entre outros, com forte predominância de contornos geométricos na trama do material produzido.

Os ribeirinhos, por sua vez, confeccionam lembranças como barquinhos repletos de produtos regionais, miniaturas de animais e colares de sementes. Na capital surge a sandália de couro do peixe tambaqui, oriunda das habilidosas mãos da artesã Rosineide Dias. Gumercindo Souza Neto produz bolsa de fio de buriti com alça de cipó apuí ornamentada com semente de tapauá.

Cada artista, a seu modo, reproduz a diversidade amazônica e a maneira como o homem da região respeita e preserva a natureza. Os Saterê-mawé, no Baixo-Amazonas, especializaram-se em colares e cestos, enquanto os artesãos ribeirinhos produzem objetos com massa de guaraná, fruto típico da Amazônia.

A borracha é uma matéria-prima muito usada pelo artista amazonense. A madeira também, dela surgindo lindas miniaturas, souvernirs e instrumentos musicais como violão, bandolim e cavaco; bem estilizados jogos de dominó são produzidos com o roxinho e muirapiranga, tipos de madeira. A marchetaria ganha espaço na produção artesanal com belos quadros da arquitetura ribeirinha e do humano indígena e até mesmo porta-lápis e porta-jóias são confeccionados com a técnica.

Na solenidade de lançamento do 1º Catálogo de Artesanato do Amazonas, no stand do governo na II Fiam, pronunciaram-se, pela ordem, a presidente da Amazonastur, Oreni Braga; governador Eduardo Braga; primeiro-ministro de Aruba, Nelson Oduber e o presidente do Lloyd Aéreo Boliviano, Ernestor Asbun. Todos ressaltaram a importância do artesanato como fator de identificação cultural de um povo e manifestaram a certeza de que com a obra então lançada o artista manual amazonense passava a conquistar mais um forte aliado em sua defesa e na divulgação do que produz. Expressiva quantidade do que se faz de artesanato no Estado do Amazonas vem de Novo Airão a 185 quilômetros da capital.

Naquele Município foi criada a Associação dos Artesãos de Novo Airão com o propósito de desenvolver alternativas de geração de renda com a produção e venda do artesanato, baseado no manejo sustentável da extração de fibras vegetais. A produção é boa. As peças mais procuradas, feitas por artesãos do Município de Novo Airão, são: tupés e luminárias. (Apolonildo Britto – Revista Amazon View – Edição 65)

 
Apolonildo Brito

OUTRAS

Parceiros