Amazon View!

Jornalismo | Reportagens

Qualidade de vida começa na Educação

Há pouco tempo como secretária municipal de Educação e Cultura de Manaus – Semed, Therezinha Ruiz de Oliveira tem muitos desafios pela frente, demonstrando competência para vencê-los e administrar 324 escolas que atendem a 198 mil alunos distribuídos no Ensino Fundamental, Educação de Jovens e Adultos e Educação Infantil, e um quadro de educadores de 5.676 professores e 400 pedagogos.

A secretária municipal de Educação e Cultura de Manaus Therezinha Ruiz de Oliveira, 49 anos, nascida em Manaus, é formada em Letras com habilitação em Língua Portuguesa e Inglesa e especialização em Gestão Escolar, ambos pela Universidade do Amazonas. Atuando há 30 anos na educação pública, primeiro como professora e como coordenadora do curso de Língua Portuguesa e diretora de escola. Na Semed, iniciou como professora, depois foi técnica de acompanhamento pedagógico, assessora e diretora do Departamento de Ensino e, nos últimos sete anos, era subsecretária e, em abril deste ano, assumiu a pasta de Educação como secretária municipal de Educação e Cultura da capital amazonense.
     A secretária pretende universalizar a educação infantil em Manaus até 2004, reduzir os índices de distorção idade-série e abandono escolar, principalmente dar continuidade aos projetos ligados a qualidade na educação, dentro da política educacional do município, regida pelo Programa de Gestão Educacional, que tem quatro eixos norteadores – gestão participativa, infra-estrutura, sistema de monitoramento e avaliação e formação e valorização dos profissionais do Magistério.
     Outra conquista destacada pela titular da pasta de Educação é a inauguração da nova sede da Semed, que tem previsão para julho deste ano. Segundo a secretária, o novo prédio situado na Rua Recife, tem projeto arquitetônico moderno e funcional, que dará mais estrutura de atendimento à Educação. A obra, aliás, é uma das conquistas da administração da professora Vera Edwards, que foi titular de Educação Municipal por sete anos, informou a secretária.

Estrutura descentralizada

Para modernizar a estrutura educacional do município de Manaus e dar maior desempenho operacional ao órgão, a Semed opera através de Distritos Educacionais, que têm por objetivo descentralizar as atividades pedagógicas, administrativas e financeiras da rede municipal de ensino, proporcionando um melhor atendimento às escolas e centros de educação infantil. A Semed possui quatro distritos educacionais na Zona Norte / Oeste e Centro-Oeste  / Sul e Centro-Sul e Leste.

O Centro Formação Permanente do Magistério Municipal é responsável por toda a qualificação dos profissionais de Educação. Atualmente, dois mil professores da rede municipal estão sendo graduados na Universidade do Amazonas e 200  já concluíram pós-graduação em Gestão Educacional por meio do Programa Professor na Universidade, idealizado pelo prefeito Alfredo Nascimento, em 1999.

Em junho de 2003 será a colação de grau da primeira turma desses professores universitários. Todos os professores da rede participam da formação contínua que tem por objetivo aperfeiçoar os conhecimentos dos educadores em sala de aula.

Centro Municipal de Educação Especial (Sadem) – Composto de profissionais para realização de avaliações e diagnósticos de alunos da rede municipal de ensino, realizando apoio psicológico a pais e alunos. Oferece serviços especializados como fonoterapia, exame auditivo, orientação familiar, intervenção e orientação psicopedagógica nas escolas, de acordo com a necessidade da clientela atendida.

O Centro Municipal de Educação de Jovens e Adultos – Cemeja, será inaugurado no final do primeiro semestre e vai atender os alunos de 5ª a 8ª séries que estão em distorção idade-série por meio de um currículo adequado às exigências de um programa de aceleração de estudos.

Projetos para melhorar a qualidade de ensino e combate à evasão e distorção idade-série:

Aceleração da Aprendizagem – Com quatro anos de funcionamento, atua em 78 escolas, nas áreas com maiores problemas de distorção idade-série. O projeto visa regularizar o fluxo escolar dos alunos das séries iniciais do Ensino Fundamental, promovendo o aluno, ao final do ano letivo, para a série em que apresente condições de prosseguimento regular dos estudos.

Plantão Escolar – Atua em todas as zonas da cidade no combate à evasão escolar por meio de visitas domiciliares a casa dos alunos, realizadas pela equipe multidisciplinar formada por pedagogos, assistentes sociais, psicólogos e psicopedagogos.

Destaque de projetos de meio ambiente

O Projeto Bodozal, da Prefeitura de Manaus, desenvolvido na Escola Municipal Terezinha Moura Brasil, mais uma vez ganha destaque nacional.

Primeiro, foi matéria para o jornal Bom Dia Brasil e Programa Ação, gravado em abril, ambos da Rede Globo; agora, é registrado numa revista de grande circulação nacional do segmento Ciências e Tecnologia, onde o projeto aparece junto com mais 500 projetos de Educação Ambiental de todo Brasil.

Para o prefeito Alfredo Nascimento, o projeto ganhou vida própria e hoje é referência para outras escolas e cidades, indicação que é o reconhecimento de um trabalho de integração da Escola Therezinha Moura Brasil, alunos e moradores do bairro da Compensa.

 “Quando o Bodozal começou, sabíamos do alcance social e ecológico que o projeto oferecia. Com quatro anos de funcionamento, ele atende a todas as escolas municipais na Compensa e isso também prova que comunidade e escola podem transformar e mudar a consciência das pessoas, sobretudo, alcançando objetivos”, destacou o prefeito.

A notícia da classificação foi recebida pela Internet, a mensagem foi assinada pelo Editor Especial, Denis Russo; no texto o diretor parabeniza a escola e informa que os finalistas estão sendo analisados com rigor pela comissão julgadora formada por profissionais especialistas na área de meio ambiente e comunidade.

Na categoria Governo/Comunidades foram classificados, além do Bodozal, os Projetos Caravana Ambiental, da Secretaria de Estado e Meio Ambiente do Amapá e o Projeto Pomar, da Secretaria de Estado e Meio Ambiente de São Paulo.

Inicialmente, há quatro anos, quando foi criado, o Projeto Bodozal tinha por objetivo trabalhar junto com os alunos a conscientização ambiental dos moradores próximos aos igarapés do bairro da Compensa. Atualmente, o projeto ganhou novos horizontes. Hoje, o objetivo passa pela Educação Ambiental Participativa e busca alternativas de renda para os comunitários e alunos, tem mais do que nunca um alcance social importante.

Outro destaque foi a criação da Bolsa-Escola da Prefeitura, que atende a 300 alunos que estavam nas ruas e não nas escolas, porque tinham que ajudar no sustento de casa. Hoje, essas crianças são exemplos de estudantes, se dedicam exclusivamente para o seu aprendizado e ainda ajudam na divulgação do projeto.

Várias atividades são realizadas por professores e alunos, entre as quais, de maior destaque são as visitas domiciliares, onde os alunos informam aos moradores a importância de não poluir os igarapés, evitando jogar lixo (as informações são passadas através de folders e palestras dos alunos) e as oficinas que ensinam como reciclar o lixo, por exemplo: Oficina de Pets (garrafas plásticas) que os alunos aprendem a fazer brinquedos, vasos e acessórios de moda; Reciclagem de Papel e Artesanato de Jornal.

Para a secretária municipal de Educação e Cultura, Therezinha Ruiz de Oliveira, o projeto é um exemplo que se pode dar à população brasileira. O Bodozal é um processo de sensibilização da sociedade em relação as questões ambientais a partir de atividades desenvolvidas pelos alunos, crianças e jovens. Os pais se sentem orgulhosos quando os seus filhos participam de atividades cujo o reconhecimento público é visível em toda sua extensão “e isso é muito gratificante”, afirmou a secretária. (Apolonildo Britto - Revista Amazon View – Edição 46)

 
Apolonildo Brito

OUTRAS

Parceiros