Amazon View!

Matérias Temáticas | Lendas

Pirarucu, uma história de maldade e castigo

A lenda do Pirarucu tem sua origem, como a própria biológica, nas águas amazônicas. É um dos maiores peixes de escama do Brasil. Suas escamas são grandes e rígidas, sendo usadas como lixas de unha, ou como souvenires na forma de chaveiros. Para explicar a origem do peixe os índios contam que Pirarucu era um índio guerreiro, muito valente e muito orgulhoso, vaidoso e injusto e que gostava de praticar maldades, sendo por isto castigado por Tupã.

Pirarucu era um índio que pertencia a tribo dos Uaiás, que habitava as planícies da Lábrea no Sudoeste da Amazônia. Ele era um bravo guerreiro, mas tinha um coração perverso, mesmo sendo filho de Pindarô, um homem de bom coração e também chefe da tribo.

Pirarucu era cheio de vaidades, egoísmo e excessivamente orgulhoso de seu poder. Um dia, enquanto seu pai fazia um visita amigável a tribos vizinhas, Pirarucu se aproveitou da ocasião para tomar como reféns índios da aldeia e executá-los sem nenhum motivo. Pirarucu também adorava criticar os deuses.

Tupã, o deus dos deuses, observou Pirarucu por um longo tempo, até que cansado daquele comportamento decidiu punir Pirarucu. Tupã chamou Pólo e ordenou que ele espalhasse seu mais poderoso relâmpago na área inteira. Ele também chamou Iururaruaçú, a deusa das torrentes, e ordenou que ela provocasse as mais fortes torrentes de chuva sobre Pirarucu, que estava pescando com outros índios às margens do rio Tocantins, não muito longe da aldeia.

O fogo de Tupã foi visto por toda a floresta. Quando Pirarucu percebeu as ondas furiosas do rio e ouviu a voz enraivecida de Tupã, ele somente as ignorou com uma risada e palavras de desprezo. Então Tupã enviou Xandoré, o demônio que odeia os homens, para atirar relâmpagos e trovões sobre Pirarucu, enchendo o ar de luz. Pirarucu tentou escapar, mas enquanto ele corria por entre o galho das árvores, um relâmpago fulminante enviado por Xandoré, acertou o coração do guerreiro que mesmo assim ainda se recusou a pedir perdão.

Todos aqueles que se encontravam com Pirarucu correram para a selva terrivelmente assustados, enquanto o corpo de Pirarucu, ainda vivo, foi levado para as profundezas do Rio Tocantins e transformado em um gigante e escuro peixe. Pirarucu desapareceu nas águas e nunca mais retornou, mas por um longo tempo foi o terror da região. (Revista Amazon View – Edição 46)

 
Apolonildo Brito

OUTRAS

Parceiros