Amazon View!

Matérias Temáticas | Turismo

Festa do Guaraná, o evento cultural de Maués

A Festa da Colheita do Guaraná de Maués, que neste ano alcançou a 22ª versão, reuniu aproximadamente 25 mil pessoas em seus três dias do evento realizado pela Prefeitura Municipal, patrocinado pela NBT e Guaraná Antárctica, com o apoio do Governo do Amazonas, Ministério da Cultura e Secretaria de Estado de Cultura, Turismo e Desporto do Amazonas.

A Festa do Guaraná começa com o "Dia do Campo”, quando agricultores, pesquisadores e várias entidades reúnem-se para discutir sobre as últimas descobertas a respeito do fruto à luz das últimas pesquisas sobre o produto, feitas na Fazenda Santa Helena. Depois, a celebração continua com desfile e apresentação de bandas típicas e eleição da Rainha do Guaraná. Competições de esculturas de areia, pipas e decoração e limpeza de ruas também são atrações. Mas o momento mais belo da festa é a encenação da Lenda do Guaraná feita por índios nascidos no Município.

O evento agrega ainda o objetivo de mostrar as atrações turísticas e culturais de Maués, cidade criada na segunda metade do século XVIII, quando a região foi visitada por sertanistas em buscas das “drogas do sertão”. Vale destacar que o nome Maués é de origem Tupi: “Mau”, adjetivo que quer dizer curioso, inteligente e abelhudo + “Ueu” - ave da família dos papagaios; ou seja: “papagaio inteligente”.

A região era então habitada pelos índios Mundurukus e Maués, os quais travavam constantes lutas. Com a vitória dos Maués, os Mundurukus, temíveis guerreiros, conhecidos pelos costumes bárbaros, dispersaram-se pelos rios Canuma, Maués-Açú, Abacaxis e tributários. Mas a primeira leva de europeus que chegou de Maués veio através do padre João Felipe de Betendorf, que

referiu-se a localidade como Vila dos Maguases. Coube, porém, a Lobo D’Almada, governador da Capitania do Rio Negro e Grão-Pará, a pacificação dos guerreiros Mundurukus e Saterê-maué para promover o desenvolvimento da região, quando puderam ser fundados os povoados de Canuama, Juruti e Luséa, a última na área da aldeia Uacituba, que significa terra grande, lugar fértil.

A sede do Município, com o mesmo nome, e é conhecida como “Cidade do Guaraná”, em função deste fruto ser o mais cultivado na região, desde os seus primeiros habitantes, os índios Maués e Mundurukus.  Atualmente, trezentas toneladas de guarana são produzidas por ano em Maués.

“Desde que foi introduzido em nossa cultura, o guaraná gerou riqueza, sendo um produto hoje reconhecido internacionalmente como excelente fonte de energia. Não é por acaso que nesta época realizamos o Festival do Guaraná. Estamos em plena colheita”, festejou o prefeito de Maués, Sidney Leite, na abertura do período da festa na cidade.

Com atividades paralelas, sempre elevando o precioso guaraná, a programação oficial da 22ª Festa da Colheita do Guaraná de Maués reuniu um naipe de artistas amazonenses do quilate de David Assayag e Banda, Lúcia Benchayam Carlinhos do Boi e Banda Andirá, estes últimos levando o público ao delírio. Como atrações nacionais apresentaram-se Elimar Santos, Carla Visi e Wanderley Andrade.

Os que foram a festa também tiveram a oportunidade de se deleitar com as belas praias do Município de Maués que nesta época afloram do rio Maués-Açú como berçários para esplendidos banhos de sol e água doce. Além das praias, a exuberante natureza de Maués, como que embalada pela Festa do Guaraná, fica mais cheia de beleza e de encantos. (Apolonildo Britto – Revista Amazon View – Edição 42)

 
Apolonildo Brito

OUTRAS

Parceiros