Amazon View!

Jornalismo | Reportagens

Antonio Pizzonia, a revelação do "garoto da selva"

O astro tem mantido, em sua breve carreira profissional, a marca dos campeões Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet e Ayrton Senna, empolgando especialistas internacionais. Aos 19 anos de idade, o amazonense Antônio Pizzonia desponta como a maior e a mais promissora estrela do automobilismo mundial. O “garoto da selva”, como passou a ser conhecido pela imprensa internacional, sobe os degraus do automobilismo com a rapidez das grandes estrelas.

Pizzonia, em 70 corridas, garantiu 38 vitórias, o que representa 54,2% de primeiros lugares. Fez 41 poles, 37 melhores voltas, 16 segundos lugares e quatro terceiros. Sagrou-se campeão da F-Vauxhall Jr. e do Torneio de Inverno da Fórmula Renault, ganhando 12 vezes, o maior número de vitórias de um brasileiro no exterior.

A história de Pizzonia revela sua grande estrela para o automobilismo. Nascido e criado na cidade de Manaus, onde até pouco tempo não existia uma pista sequer para a prática desse esporte, ele recebeu um kart de um amigo de seu pai, o piloto Cézar Sade, o seu passaporte para o mundo da velocidade. Foi o ponto de largada para a gloriosa e prematura carreira do amazonense “voador”, disputando as primeiras corridas ainda criança. E não foi preciso esperar muito tempo para mostrar que Pizzonia nasceu para ser campeão. Nem tinha completado dez anos (1990) quando sagrou-se campeão amazonense da categoria Cadete. Mas foi em São Paulo, a partir de 1992, que o piloto deslanchou profissionalmente, tornando-se tricampeão paulista e campeão brasileiro de automobilismo.

Em 1996, o talento levou-o aos Estados Unidos para disputar a Barber Dodge, vencendo sete corridas no primeiro ano. De lá para a Europa foi só um passo. Em 1997, aportou na Inglaterra, três semanas antes do início da F-Vauxhall Jr., sem conhecer as pistas nem o carro. Não deu outra: faturou o vice-campeonato do certame, proeza superada dois anos depois, sendo o primeiro não-inglês a se tornar campeão da categoria, ficando, também, com o título da F-Renault, no monumental circuito de Jarama, Espanha.

Pizzonia, “o garoto da selva”, consagrado pela imprensa internacional, sobe os degraus do automobilismo com a rapidez dos carros de corrida. No próximo ano, disputará a Fórmula 3 e já realiza testes na Williams para ingressar no mundo da F-1. Pisa fundo, Pizzonia! (Apolonildo Britto – Revista Amazon View – Edição 27)

 
Apolonildo Brito

OUTRAS

Parceiros