Amazon View!

Matérias Temáticas | Turismo

Criatividade estimula turismo no Amazonas

O Amazonas pode não abrigar o melhor dos destinos turísticos, nem o maior acervo cultural na Amazônia, mas, com certeza, é o Estado que goza de maior status no setor, dentro e fora da região. O Estado foi pioneiro na construção de hotéis de selva e na promoção da cultura regional, com destaque para fauna e flora, folclore e artes plásticas. O festival de Parintins tornou-se ícone cultural da região amazônica.

O Amazonas lidera os programas de  turismo de natureza no país e fatura milhões de dólares, graças à visão  do Governo do Estado e da iniciativa privada, que investem em infra-estrutura e mídia para dinamizar o setor.

O Estado foi pioneiro em alojamentos de selva ou lodges ou hotéis de selva, construídos na floresta. São construções com características arquitetônicas da região, servindo para programas de interpretação da natureza, podendo estar dentro da selva, à margem de rios ou flutuado sobre tranqüilas águas de um lago ou rio.

Nesses locais, o visitante se sente integrado e em perfeita harmonia com a floresta. Os ecolodges são classificados de acordo com o nível de integração com o meio ambiente e conforto oferecido aos hóspedes. Há alojamentos com maior estrutura, como resorts espalhados em pequenos bangalôs individuais, com salão central de múltiplo uso, incluindo  o restaurante.

Outros locais não possuem energia elétrica e acompanham o modus vivendi de uma parte da população dos altos rios, onde o visitante pode dormir no início da noite à luz de lamparinas e em redes cobertas por mosquiteiros. Em alguns lodges, nestas condições, o turista pernoita com todo o conforto, mesmo sobre uma estrutura flutuante num lago da região. O amanhecer vem acompanhado do canto dos pássaros e da leve brisa que sopra antes dos raios do sol. Em outros hotéis de selva, o turista pode sentir a sensação de pernoitar na copa de uma árvore como um “tarzan amazônico” ou dividir com os hóspedes as aventuras de um programa noturno de focagem de jacarés, cujos olhos brilham com a luz das lanternas. A maioria dos programas compreende pernoite e dois dias incluindo refeições e passeios de canoas e na selva.

Por essas e outras razões, falar em Amazônia no mundo inteiro lembra o Amazonas que, por sua vez, tornou-se sinônimo da Amazônia pelo milagre da mídia e da mentalidade empreendedora do amazonense. Os ecolodges destacam-se de tal forma que uma coisa é indispensável num roteiro turístico regional: visita a um hotel de selva, considerado como forma correta de turismo ecológico na região e que vem se firmando como a melhor alternativa para a Amazônia. O Hotel Ariaú Jungle Towers, o mais famoso e luxuoso de todos os ecolodges do Amazonas, é um exemplo e já hospedou grandes personalidades mundiais, como Helmut Kohl, Bill Gates e Harrison Ford, além de artistas e políticos nacionais.

Nesses hotéis é possível alimentar animais selvagens na mão: quatis, macacos e araras se banqueteiam junto a turistas. Há opções de caminhada na selva e focagem de jacarés à noite.

Maior zoo a céu aberto do mundo – Em se tratando de Amazônia, os números do Amazonas também são grandes. Os cientistas dizem que num espaço de 20cm², por exemplo, podem ser encontrados até 1,5 mil espécies vegetais e animais diferentes, somando-se fungos e microorganismos.

Projeções apontam que cerca de 2 milhões de espécies tenham o seu habitat na região. A variedade da flora amazônica concentra-se basicamente nas espécies cujo habitat é composto pelas matas de igapó, matas de várzea e mata de terra-firme. Há inúmeras espécies comestíveis, oleaginosas, medicinais, corantes e outras raras. Das matas tropicais foram extraídas 25% de todas as essências farmacêuticas utilizadas atualmente pela Medicina.

A fauna da região também é variada. São roedores, felinos, aves, quelônios, primatas etc. E assim como no reino vegetal, há muitas espécies que somente ocorrem na região, como os macacos uacari branco e o pequeno sauim-de-coleira, que somente ocorre nas proximidades de Manaus.

Os principais ecolodges e pousadas de selva do Estado do Amazonas:

Acajatuba Jungle Lodge – No Lago Acajatuba, 62 km a oeste de Manaus, o hotel está a aproximadamente quatro horas de viagem de barco, partindo do porto do Tropical Hotel, ou cinco horas passando pelo Encontro das Águas em barco regional. Possui 40 apartamentos em 20 chalés e toda a sua estrutura é construída em madeira rústica, com dependências elevadas do solo e interligadas por passarelas. Seus chalés são individuais com banheiro interno, janelas teladas, água corrente, refeições em sistema de buffet com variedades da cozinha regional e internacional, servidas em restaurante panorâmico.

Amazonat Jungle Lodge – Situa-se na rodovia AM-10, distante 160 km de Manaus. O traslado é de cerca de duas horas de carro/van. Oferece acomodação em 20 chalés com varanda, sala, quarto e banheiro, 14 km de trilhas na floresta, praia fluvial, piscina, restaurante com pratos da cozinha regional e internacional e, ainda, área com árvores frutíferas.

Amazon Ecopark  – Localiza-se no Igarapé do Tarumã-Açu, aproximadamente a 6 Km de Manaus com traslado de 30 minutos de barco. Tem 60 apartamentos, em 20 chalés, e oferece bangalôs rústicos, distribuídos em área de floresta de design típico da região (em madeira, telados, forrados) com três suítes individuais, banheiros privativos com chuveiro elétrico, ventilador e/ou ar condicionado, restaurante panorâmico com capacidade para 120 pessoas. A floresta dos macacos e uma piscina natural  são os seus principais atrativos.

Amazon Lodge – Encontra-se no rio Juma, 80km a sudeste de Manaus, aproximadamente a 4 horas de viagem terrestre e fluvial. O hotel possui 12 apartamentos em seis módulos flutuantes. O módulo central com dois andares divididos em bar, recepção, área de lazer, restaurante, apartamentos telados com duas camas de solteiro, três banheiros coletivos  e energia elétrica.

Amazon Riverside – Margem esquerda do rio Amazonas, a aproximadamente 33 km do porto de Manaus. O traslado é de aproximadamente três horas, partindo dos hotéis da capital, com embarque do Porto da Ceasa, passando pelo encontro das águas em barco regional ou canoa motorizada. Ocupa sete aparta-mentos duplos e/ou triplos – suítes com proteção total contra insetos em aconchegante clima natural. O hotel tem como cenário a beleza do Encontro das Águas dos rios Negro e Solimões. Escadas e sistemas de passarelas bem projetadas em palafitas são alguns itens que você encontra para curtir com maior conforto e segurança aliado a um serviço de bar e restaurante com pratos regionais em sistema self-service. Possui trilhas ecológicas com variedades de árvores frondosas e plantas medicinais, além de passeios de canoa motorizada e um ótimo local para observar o nascer e pôr-do-sol. 

Apurissawa Jungle Lodge – No rio Cuieiras, 80 kms a noroeste de Manaus, a cinco horas de viagem de Manaus. É um hotel de selva simples, mas em localização privilegiada no rio Cuieiras; acomodação para oito pessoas em dois chalés com banheiro privativo. Os pratos servidos no restaurante são tipicamente regionais e de alta qualidade. É possível passear de caiaque, além de todas as excursões tradicionais.

Ariaú Towers – Localizado à margem do rio Ariaú, aproximadamente a 60 km a noroeste de Manaus, com traslado de duas horas a partir do Hotel Tropical. Possui 271 apartamentos dispostos em sete torres. É o maior complexo hoteleiro de selva; suas torres de apartamentos são interligadas por passarelas, possui duas piscinas, duas torres de observação, auditório panorâmico para convenções com capacidade para 350 pessoas, dois restaurantes, 4 bares, salas de tv/vídeo, salão de chá e praia fluvial no Verão.

Juma Hotel – Situa-se no rio Juma, a aproximadamente 100 kms de Manaus. O hotel pode ser alcançado em 3 horas de barco na época da cheia e o mesmo tempo em traslado van/barco, na seca. Foi construído em terra firme sobre estacas, recoberto com folhas de babaçu e em frente às calmas águas do rio Juma. Tal procedimento de construção se faz necessário para suportar a época da cheia, quando o nível das águas pode subir mais de 12 metros. Possui 8 chalés com banheiro privativo, sistema de ventilação e frigobar. O hotel ainda conta com restaurante, área para confraternizações junto à copa das árvores e um mirante.

Jungle Palace – Localizado no rio Negro (Lago do Tatu), cerca de 50 Km de Manaus, a 45 minutos de barco. Possui 20 suítes e foi construído sobre uma balsa de ferro, proporcionando conforto, higiene, segurança e lazer. Todas as suítes com ar condicionado, tv com canais fechado e aberto, banheiro privativo com ducha quente/fria, cofre individual, guarda-roupas, minibar, comunicação interna e varanda panorâmica. O hotel dispõe ainda de american bar com videokê e som ambiente, piscina, restaurante e mirante.

Lago Salvador – Situa-se no Lago Salvador, a 15 minutos do Porto do Tropical Hotel. Suas instalações incluem, atualmente, 12 confortáveis apartamentos com 36 leitos, amplo restaurante, completa infra-estrutura de serviços, energia elétrica, comunicação por sistema de rádio e equipamentos para esportes fluviais. O hotel de selva, além de ser o mais próximo de Manaus, oferece vários programas especiais, como pacotes e passeios de barcos pelos rios Amazonas, Solimões e Negro e tour de sobrevivência a exemplo de rappel e travessia de pontes suspensas.

Pousada dos Guanavenas – No Município de Silves, a 350 km de Manaus, o hotel tem 70 apartamentos e inclui restaurante regional, duas piscinas, sala de jogos, quadra de vôlei e tênis, apartamentos com banheiro privativo, ar condicionado, frigobar, energia elétrica, varandas e sala de televisão e vídeo.

Terra Verde Lodge – Rio Tiririca,  48 km de Manaus. O hotel possui 14 apartamentos com varandas individuais e vista panorâmica, luz elétrica, bar, restaurante regional, piscina flutuante telada e seu principal atrativo é a floresta viva, maior área de floresta nativa preservada aos roedores de Manaus.

Malocas Jungle Lodge – A 160 km de Manaus, é um lodge com 12 apartamentos duplos com banheiro, restaurante e área  de serviço.  Característica ecológica no estilo rústico, sem energia elétrica, apresenta bom trabalho de Selva com exclusividade na área explorada. Conta com profissionais e guias experientes, bem como guia índio para os trabalhos de sobrevivência na selva. (Apolonildo Britto - Revista Amazon View – Edição 53)

 
Apolonildo Brito

OUTRAS

Parceiros